< Voltar

EntrevistaAdicionar ao favoritos

Cris Torchia

Conheça a artesã que quer ver o artesanato reconhecido
Conheça a artesã que quer ver o artesanato reconhecido
A artesã e arte-educadora Cris Torchia sempre teve sua carreira voltada para as artes manuais. Atualmente conhecida pelos trabalhos em feltro e tecido, seu maior sonho é ver o artesanato brasileiro reconhecido

Por Nathália Braga
Fotos Mônica Antunes

Nascida em uma família de professores, Cris Torchia tem o dom de ensinar. Desde pequena, quando pensava em que carreira seguir, não lhe vinha outra coisa à mente senão o comando de uma sala de aula. Curiosamente, foi essa cultura familiar que a trouxe para o artesanato.



Formada em artes plásticas, Cris começou a dar aulas quando ainda estava na faculdade. Não satisfeita com o interesse dos alunos nas atividades curriculares, foi em busca de uma nova tentativa de atuar em sua área, dessa vez no mercado publicitário – quando as peças das campanhas ainda eram pintadas à mão. Até que a chegada dos computadores dispensou o trabalho de pintura manual e tudo passou a ser produzido digitalmente.

Nessa mesma época, há 15 anos, nascia Doris, sua primeira filha. A mudança no segmento da publicidade e a chegada de sua primeira filha foram fatores determinantes para o início de uma carreira no artesanato. “Comecei fazendo cadernos artesanais. Depois de um tempo, me inscrevi nos projetos de aulas do SESC (Serviço Social do Comércio). Deu certo e há 13 anos dou aulas para quem realmente está afim”, comemora a artesã. Atualmente, ela ministra cursos em diferentes unidades do SESC no estado de São Paulo.

“Um dos momentos de que mais gosto são as atividades com a terceira idade. É bem prazeroso e aprendo muito com as ‘meninas’”, revela Cris, que anos atrás deixou de trabalhar com pintura por falta de espaço em seu novo apartamento.

Mas ela logo se aprimorou em novas técnicas e, hoje, é referência no universo dos tecidos e feltros. O destaque vai para a criação de bonecos no estilo toy art, como a coruja que você confere na página 72.

Sucesso profissional.
A felicidade que Cris Torchia demonstra com sua vida profissional exige dedicação e jogo de cintura. Afinal, liderar equipes de artesãs de grandes fabricantes não deve ser tarefa fácil. Como coordenadora de marketing dos trabalhos artesanais da Fernando Maluhy – que, além de comercializar tecidos, também distribui e divulga a entretela dupla-face Teclabel –, Cris participa de diferentes atividades: lançamento de produtos, coordenação de professoras, divulgação na mídia e cronograma de aulas e demonstrações.



Mas ela ainda arruma tempo para ser consultora de empresas parceiras, como a Najar – fabricante de fitas, rendas e aviamentos –, e também conta com o apoio da Feltros Santa Fé, entre outras marcas do artesanato brasileiro. “São parceiros valiosos, que me acompanham em grandes empreitadas”, diz.

Ainda neste ano, novos desafios devem surgir, como as ações em conjunto com as empresas Lantecor e Mundial, além dos preparativos para as grandes feiras do setor, como a Mega Artesanal e a Semana Senac de Patchwork.

Tendências e reconhecimento
Aos 41 anos e com mais de 20 de carreira, Cris se diz satisfeita por ter conseguido juntar a paixão pela arte com o talento para ensinar pessoas. “Acredito que o trabalho coletivo é mais prazeroso que o individual.” Apesar disso, a artista também tem os seus momentos individuais de inspiração: “Sempre busco novas tendências, vou além de minha curiosidade”. E ela não precisa de muito para isso...

Em um quartinho de seu apartamento em São Paulo (SP), juntam-se tecidos, feltros, retalhos, fitas, ferramentas e acessórios dos mais variados tipos. Este pequeno universo dentro de casa permite a criação de diferentes peças. “Os tecidos e os feltros estão muito em alta. Essa tendência deve permanecer ainda por um bom tempo. Mas o artesão precisa ser completo. Aprender a olhar para várias técnicas e não ficar focada apenas em uma”, ensina.



Outra dica dela para ter sucesso é deixar de ver as artes manuais como uma atividade para complementar a renda. “A profissão exige rigor, cultura, estudo e não pode ser vista como plano B. É uma área tão lucrativa quanto qualquer outra”, exclama, destacando sua opinião.

E é desse jeito, sempre alegre e extrovertida, que Cris Torchia é mãe de quatro filhos, esposa e uma artista realizada profissionalmente. Seu único sonho é: “Ver o artesanato brasileiro reconhecido como é o europeu e o americano. Somos muito criativos, caprichosos e temos um potencial maravilhoso a ser explorado”. Se dependesse só de Cris, o sonho estava garantido. Talento ela tem de sobra!

Técnica da semanamais sobre isso

Cones de scrap para pipoca doce

Cones de scrap para pipoca doce Confira essa matéria!

PARA PINTAR E BORDAR

GUIA DE PINCÉIS

GUIA DE PONTOS

Vendo Artesanato
Quem somos Expediente Anuncie Fale com a Redação
Home | Contato | Anuncie | Publicidade | Equipe | Assinaturas | Divulgue o Portal Artesanato Decoração | Artesanato | Yesteen | Corporativo | Buquê de Noiva | Vendo Autos | Loja Online Copyright © 2012 - IBC Instituto Brasileiro de Cultura Ltda. |